Sanções foram aplicadas pelo The Jockey Club a criadora da Califórnia

EUA: animais criados por meio de inseminação artificial têm certificados revogados

16 de janeiro de 2019

Na última semana, o website norte-americano PaulickReport.com (especializado em mídia turfística) publicou matéria (assinada, além da redação do website, por Natalie Voss) na qual são relatadas punições aplicadas pelo The Jockey Club a uma criadora da Califórnia, em razão da utilização de métodos artificiais de criação. De acordo com a reportagem, dois certificados de PSI foram revogados e outros seis estariam em vias de ser cancelados pela entidade.

 

A medida vai de encontro às regras internacionais de criação, estabelecidas pela Federação Internacional de Autoridades Hípicas (IFHA), dentre as quais consta a proibição expressa à utilização de inseminação artificial e outras técnicas afins para a concepção de animais PSI. A inobservância do padrão internacional, além de acarretar riscos de sanção ao criador infrator (bem como eventuais compradores de seus produtos e/ou utilizadores de seus reprodutores), também coloca em risco a criação PSI do país no qual a infração foi identificada. A ABCPCC/Stud Book Brasileiro reitera aos criadores, associados ou não, que atentem à regra, ficando eventual infrator sujeito às sanções indicadas na carta assinada pela presidência, em 14 de dezembro de 2018 (disponível aqui).

 

Abaixo, a tradução da matéria (original disponível aqui).

 

“No dia 4 de janeiro, o The Jockey Club anunciou a revogação permanente de todos os direitos, perante o stud book, da criadora/proprietária Nadine Anderson em razão da conclusão de que Nadine ‘conscientemente adulterou e/ou colaborou para a adulteração de requisitos para registro de potros e outras informações’. A organização também informou que dois certificados foram revogados, por apresentarem conexão com os atos praticados por Nadine, e outros seis certificados (os quais estão sendo processados) serão cancelados.

 

The Jockey Club citou a Regra 19 do stud book, a qual indica quatro circunstâncias pelas quais direitos dos criadores podem ser revogados. O texto completo da norma encontra-se disponível aqui.

 

Ainda que a nota de imprensa, que disseminou a informação, não tenha estabelecido a razão específica para que Nadine perdesse seus direitos perante o stud book, a reportagem do Paulick Report apurou que The Jockey Club descobriu a ligação entre Nadine e diversos casos de utilização de inseminação artificial para criar cavalos de corrida, e um caso de transferência embrionária. Ambas as práticas são proibidas pela regra do stud book.

 

Em carda datada de março de 2018, o secretário do The Jockey Club, Rick Bailey, advertiu Nadine acerca dos diversos certificados de registros de potros revogados pelo The Jockey Club, além de um total de 35 certificados de garanhões, entre as temporadas de monta de 2015 e 2017.

 

Nenhum dos produtos gerados a partir de garanhões cassados tiveram seus nomes registrados.

 

The Jockey Club declinou em comentar o caso.

 

Nadine foi gerente na Brazeau Farm, em Helmet, Califórnia, desde sua fundação. De acordo com o perfil de Nadine, disponibilizado no website da Associação da Califórnia de Criadores de Cavalos de Corrida, ela provém do mundo do cavalo árabe e previamente trabalhou com treinamento antes de ser transferida à gerência na Getaway Thoroughbreds. Quando o proprietário do haras, Dinesh Mahar, encerrou a operação, inesperadamente, em 2012, Nadine foi deixada com 170 animais e sem condições de cuidá-los. Ela transferiu vários deles para uma propriedade alugada, de 80 acres, que restou, por fim, adquirida por Paul e Alieen Brazeau.

 

Fontes informam à reportagem de Paulick Report, que até pouco antes das investigações do The Jockey Club nas operações de Nadine na Brazeau Farm, o haras não possuía um local específico para a realização de coberturas, tampouco um gerente de garanhões, apesar de garanhões estarem alojados lá, incluindo World Renowned, Indian Gods, Stormy Jack e Make Music For Me.

 

A carta de março de 2018 também pontua que Nadine qualificou-se como criadora ou co-criadora em documentos relacionados à cavalos criados, nascidos e crescidos no haras. Como criadora ou co-criadora de animais criados na Califórnia, Nadine estaria apta a captar incentivos financeiros dedicados aos criadores locais.

 

Nadine Anderson/Brazeau Thoroughbreds aparecem entre os 50 criadores da Califórnia com maiores somas ganhas, em prêmios, no ano de 2018, de acordo com a edição de janeiro/2019 da revista California Thoroughbreds.

 

O Diretor Executivo da Associação da Califórnia de Criadores de Cavalos de Corrida, Doug Burge, disse que os prêmios de criadores são pagos ao ‘criador de um animal criado na Califórnia e nomeado nos certificados do The Jockey Club. Criadores com registros revogados não estariam aptos a receber prêmios.’

 

Essa parece ser a primeira vez que o The Jockey Club revoga direitos de um criador perante o stud book devido à utilização de inseminação artificial. Decisões prévias de revogação focaram-se em treinadores ou proprietários que perderam acesso ao stud book depois de receber consideráveis punições relacionadas à medicação ou bem-estar animal.”

 

 

Redação ABCPCC

 

14/02/2019 Projeto de Formação de Cavalos Novos da FPH

Projeto de Formação de Cavalos Novos da FPH

13/02/2019 Leilão do HFV acontece nesse sábado (16)

Leilão do HFV acontece nesse sábado (16)

13/02/2019 Primeiro Circuito de Provas Esportivas de Montes Claros

Primeiro Circuito de Provas Esportivas de Montes Claros

13/02/2019 Em Pouso Redondo, curso prático de La Rienda é realizado com sucesso

Em Pouso Redondo, curso prático de La Rienda é realizado com sucesso

13/02/2019 Argentina: com Little Vicky, conexões brasileiras vencem listed

Argentina: com Little Vicky, conexões brasileiras vencem listed

12/02/2019 Pernambuco sediará 10º Congresso & Derby e 3ª Copa dos Campeões ABQM de Vaquejada

Pernambuco sediará 10º Congresso & Derby e 3ª Copa dos Campeões ABQM de Vaquejada

12/02/2019 Eleita Diretoria para gestão 2019/2021

Eleita Diretoria para gestão 2019/2021

12/02/2019 Quem classifica para Crioulaço Força A, B e C?

Quem classifica para Crioulaço Força A, B e C?

Histórico