Lasix: aplicação com 4 horas de antecedência é a mais eficaz, aponta estudo

Trabalhos acadêmicos apresentados na convenção da American Association of Equine Practitioners tiveram resultados divulgados na mídia especializada norte-americana. Afirmação de maior eficácia nas aplicações de furosemida com 4 horas de antecedência em relação à corrida reacende debate local.

01 de fevereiro de 2018

 

 

Em novembro de 2017, os veterinários Dr. Heather Knych e Dr. Warwick Bayly apresentaram, durante a convenção da American Association of Equine Practitioners, trabalhos desenvolvidos sobre particularidades da furosemida – lasix – e seus efeitos, junto aos cavalos de corrida. Dentre os resultados dos estudos, afirmação de que a aplicação da furosemida, com 4 horas de antecedência, tende a surtir maior eficácia do que a tradicional ministração realizada no dia da corrida. O website Paulickreport.com realizou a divulgação dos trabalhos, nesta terça-feira (30).

 

O apontamento, feito pelo Dr. Knyck – vinculado ao Ken L. Maddy Equine Analytical Chemistry Laboratory – acerca do intervalo mais eficaz de aplicação, volta a motivar os intensos debates, no turfe norte-americano, sobre as políticas relacionadas à medicação no dia da corrida. Diante da prática permitida em diversos estados do país, de que a furosemida seja aplicada no dia da corrida – contrariando, portanto, tendências e protocolos dos principais países europeus – houve negociações e sugestões rondando as autoridades competentes para que, também nos Estados Unidos, a medicação na data da prova restasse banida.

 

Nesse contexto, as discussões sobre alternativa de ministração da furosemida no dia anterior à corrida, e seus efeitos, ganharam espaço. Desta feita, porém, as sugestões com lastro acadêmico, do Dr. Knyck, vêm a corroborar a tese daqueles que defendem a maior efetividade da medicação, no dia da corrida.

 

 

Para a obtenção do resultado antecipado, o Dr. Knyck simulou um páreo de 1.000 metros, envolvendo 15 animais. Estes, medicados com furosemida aplicada com diferentes intervalos – de 4 horas para parte dos animais e 24 horas para os outros. Após a prova, realizaram-se exames de endoscopia que apontaram menores sinais de sangramento nos competidores medicados com 4 horas de antecedência.

 

Mencionado acima, o Dr. Bayly concluiu, em seu estudo, que a dosagem de 0,5mg/kg de furosemida, ainda que aplicada com 24 horas de antecedência, revela-se mais eficaz à medida que acompanhada de acesso restrito de animais ao consumo de água, durante o intervalo. Para tanto, seis cavalos, com diferentes níveis de consumo de água, após a aplicação, tiveram seus exames pós-exercício comparados. Aqueles cujo acesso ao líquido teve maior controle e restrição, foram identificados com menores sinais hemorrágicos, do que os outros.

 

Fonte: ABCPCC

15/02/2018 A criação de cavalos é prejudicada pela morte embrionária precoce (MEP)

A criação de cavalos é prejudicada pela morte embrionária precoce (MEP)

14/02/2018 30º Torneio de Verão abre temporada nacional do hipismo no CHS

30º Torneio de Verão abre temporada nacional do hipismo no CHS

14/02/2018 Potro Nasce Muito Grande: É Necessário Sempre Cortar A Vulva ?

Potro Nasce Muito Grande: É Necessário Sempre Cortar A Vulva ?

14/02/2018 Prova funcional do Mancha Crioula une famílias pelo cavalo

Prova funcional do Mancha Crioula une famílias pelo cavalo

06/02/2018 Égua Dá Trabalho Na Hora De Colocar O Bridão

Égua Dá Trabalho Na Hora De Colocar O Bridão

06/02/2018 Saúde Animal – Os Perigos Do Tétano Em Equinos

Saúde Animal – Os Perigos Do Tétano Em Equinos

05/02/2018 ABQM manifesta apoio às entidades de raças bovinas

ABQM manifesta apoio às entidades de raças bovinas

05/02/2018 Fanciful rende mais um Possolo para a criação Araras

Fanciful rende mais um Possolo para a criação Araras

Histórico